Programa Antidoping da FAI

A Federação Aeronáutica Internacional (FAI) condena o uso de substâncias banidas pela Agência Mundial Antidoping (WADA) por atletas. Tais substâncias podem degradar o rendimento de pilotos e comprometer a segurança do voo. A prática, definida como “doping”, é contrária aos princípios de “fair play” preconizados pela FAI e é potencialmente danosa para a saúde e a segurança dos atletas.
A Confederação de Aerodesporto Brasileiro (CAB), como entidade reconhecida pela FAI, endossa e participa de seu Programa Antidoping, colaborando para sua implementação em território nacional, durante eventos categorizados pela Federação Aeronáutica Internacional ou eventos nacionais sob sua tutela. Acreditando que a informação e o conhecimento são as melhores ferramentas para a promoção de eventos livres de casos de doping, a CAB divulga aqui as normas, lista de substâncias proibidas, metodologia dos testes, isenções de uso terapêutico, particularidades envolvendo o aerodesporto, responsabilidades dos organizadores e traz outras informações pertinentes à questão do controle antidoping.
As regras antidoping da FAI foram estabelecidas em 2003 e são estas: FAI Anti-Doping Rules
Aqui, pode-se ter uma visão resumida e prática destas mesmas regras: Anti-Doping at a lance
As substâncias proibidas foram atualizadas a partir de 01/01/2017 e esta é a lista vigente: Prohibited List
Vale salientar que o álcool está presente na lista de substâncias proibidas no aerodesporto, apenas em testes feitos durante os eventos. O limite tolerado é de 0,10g/l na amostra de sangue, o que pode ser obtido com a ingestão de menos de 300 ml de cerveja. Sendo assim, recomenda-se que se permaneça dentro deste limiar nas vésperas do evento, para que não se apresente níveis sanguíneos maiores que o permitido na manhã seguinte.
Testes antidoping podem ser realizados pela FAI ou seus órgãos nacionais em seus atletas registrados durante qualquer evento internacional ou nacional por eles chancelados, podendo também serem realizados em qualquer data fora das competições. Todos os testes são realizados e/ou supervisionados por um membro da Comissão Médica da FAI. O atleta selecionado para realizar o teste deverá seguir este guia prático: Doping Control procedure at a lance
Atletas podem adoecer ou apresentar alguma condição clínica que necessite o uso de uma medicação. Mas essa medicação pode conter alguma(s) substância(s) listada(s) como proibida(s). Neste caso, poderá ser concedido uma “Isenção de Uso Terapêutico” (TUE), que deverá ser obtido 30 dias antes do evento e apresentado durante a realização do teste. Aqui está um guia prático sobre o TUE: Therapeutic Use Exemptions at a lance
Recomendamos também a leitura destes tópicos, que esclarecem questões mais frequentes:
Sobre os Organizadores: FAQ for Event Organisers
Sobre os Competidores: FAQ for Competitors
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial