Editais de Convocação para Assembleia

A CAB publicou hoje dois editais para convocação de assembleia conforme estatuto.

Dia 27 de março de 2019 às 12hs Assembleia Geral Ordinária para prestação de contas. AGO 27 03 2019 assinado

Dia 27 de março de 2019 às 14hs Assembleia Geral Extraordinária para discussão e votação da proposta de adequação dos estatutos para as leis de incentivo ao esporte. AGE 27 03 2019 assinado

Ficamos a disposição para maiores informações.

Atenciosamente,

Marina Posch Kalousdian

 

CAB participa de Aula Magna do Curso de Aviação Civil na Anhembi Morumbi

Presidente da GOL foi o palestrante de honra do encontro na Universidade.

A presidente da CAB-Comissão de Aerodesporto Brasileira, Marina Posch Kalousdian, participou nessa quinta-feira à noite, dia 21 de fevereiro, na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo-SP,  da aula magna de início das atividades letivas do Curso de Aviação Civil. Na ocasião, a palestra que marcou o começo do período para alunos e professores foi proferida pelo presidente da GOL Linhas Aéreas, Paulo Sérgio Kakinoff.

É importante ressaltar que a Universidade Anhembi Morumbi é a única no Estado de São Paulo que oferece uma graduação em Aviação Civil, homologada pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil. Estavam presentes na solenidade, além do Coordenador do Curso, Prof. Dr. Edson Luiz Gaspar, diversos professores que também exercem atividades na  Aeronáutica, Exército, torres de controle além, ainda, de pilotos e demais profissionais ligados aos mais diversos segmentos da aviação.

“Foi extremamente positiva essa presença no encontro, uma vez que a CAB tem um projeto antigo de estreitar relações com companhias aéreas e a Academia. Afinal, embora sejam dois ambientes distintos cada um ao seu meio e modo tem uma parcela significativa a contribuir com o aerodesporto, seja pela ação empresarial através de apoio, incentivo, patrocínio e fomento, ou pelo conhecimento já que a Universidade é uma “usina” de ciência, tecnologia e inovação”, disse Marina.

Ao final da aula magna, a presidente da CAB conseguiu conversar com o presidente da GOL, entregou a ele um cartão e pediu uma oportunidade de marcar uma agenda para que possa falar de forma mais detalhada sobre o aerodesporto de maneira geral, suas especificidades e atuação. “A julgar pela simpatia e receptividade do presidente da GOL, acredito que será possível essa chance. Sendo assim, a CAB poderá abrir uma base sólida de contato com uma das maiores, mais atuantes e bem sucedidas companhias aéreas nos mercados brasileiro e mundial. Portanto, a ideia já está ‘taxiando’. Agora, vamos nos preparar para a ‘decolagem’, brincou, animada, Marina.

ec4442e9-6925-45d4-9150-736ac80ba64f

CAB credenciada na ANAC para o RBAC 103

Decisão vale para aerodesportistas e ultraleves motorizados até peso vazio de 200kg e balões livres tripulados, que operam segundo o RBAC 103.

Uma notícia extraordinária para todos nós que fazemos parte da CAB!

Foi publicada no último dia 07 de fevereiro no Diário Oficial da União – DOU, portaria número 410, o credenciamento da CAB – Comissão de Aerodesporto Brasileira, para o exercício de cadastro junto à ANAC dos aerodesportistas regidos pelo RBAC 103, além de efetuar o cadastro, também junto à ANAC, das aeronaves ultraleves motorizadas e/ou balões livres tripulados regidos pelo RBAC 103.

Para a presidente da CAB, Marina Posch Kalousdian, isso significa maior agilidade e simplificação no ambiente regulamentar das atividades aerodesportivas, incentivando o fomento ao conhecimento e aperfeiçoamento dos praticantes. “Acredito que foi um salto de qualidade, e, não poderia deixar de compartilhar com todos esse avanço histórico. Parabéns, porque essa, com certeza, foi uma luta de todos nós, de toda a comunidade aerodesportiva que deu a sua contribuição”

Mais informações no link https://www.cab.org.br/rbac-103-cadastro/

Paramotor – Saiba mais sobre o Esporte

Voe de Paramotor com a jornalista Daiane Fardin do programa de TV Estúdio C de Curitiba/PR. Saiba mais sobre o esporte, a segurança dos voos e a experiência dos pilotos Alan Danilo Braga, Joelso João Gans, Flávio Espíndola e Valdemiro Pakewsky. Daiane também conversou com César Medeiros, paranaense, piloto de Paratrike desde 2008, primeiro piloto cadeirante na modalidade no Brasil, Campeão Brasileiro de Paratrike Solo, Ranking Abul 2017, classificado para o Campeonato Mundial de Paramotor, competição disputada na Tailândia ano passado. César Medeiros fez parte do TIME VOA BRASIL 2018. Confira a reportagem completa no link https://globoplay.globo.com/v/7349944/

Inscrições para o Concurso FAI de Jovens Artistas

Inscrições para o Concurso FAI de Jovens Artistas 2018 podem ser feitas na CAB.

A Comissão de Aerodesporto Brasileira (CAB) comunica que as inscrições para o Concurso FAI de Jovens Artistas 2018, cujo tema é “Voando no Futuro” podem ser feitas até o dia 28 de fevereiro, com entrega das obras, na rua Ciridião Durval, nº 139, na Vila Paulista, em São Paulo.

O Concurso é por categorias sendo que no Grupo I – Categoria Júnior podem se inscrever crianças nascidas entre 1º de janeiro de 2008 e 31 de dezembro de 2011; no Grupo II – Categoria Intermediária a faixa etária é de 1º de janeiro de 2004 e 31 de dezembro de 2007 e no Grupo III – Categoria Sênior podem se inscrever quem nasceu entre 1º de Janeiro de 2000 e 31 de Dezembro de 2003. Podem participar crianças que a família esteja relacionada a oficiais, staff ou funcionários da FAI ou de qualquer uma de suas organizações membros.

Todas as obras devem ser feitas à mão. Aquarela, acrílico, pintura a óleo, marcadores indeléveis, caneta de feltro, canetas de bola, tinta indelével, crayola, ou qualquer meio indelével similar são mídias permitidas. O formato permitido no Brasil é o A3 e a arte não deve ser enquadrada ou delineada com bordas. Não serão aceitos a utilização de lápis, carvão ou outro meio não permanente; nenhum artefato gerado por computador e nenhum trabalho de colagem envolvendo o uso de fotocópias.

No Brasil o júri será formado pelos presidentes de entidades: ABUL -Gustavo Albrecht – Ultraleves e Paramotores; ACRO – Jorge Rodrigues – Acrobacia Aérea; CBB – Valdemir Taveira – Balonismo; FBVV – Valéria Caselato – Voo a Vela – Planadores; CBVL – Francisco Santos – Parapente e Asa Delta e CBPq – Raimundo Pereira Neto – Paraquedismo. A decisão dos jurados será divulgada no dia 7 de março e até o dia 14 de março as obras selecionadas serão encaminhadas para a Federação Aeronáutica Internacional (FAI).

Os vencedores de cada faixa etária receberão medalhas de campeão, vice-campeão e terceiro lugar, juntamente com diplomas. Essas medalhas e diplomas serão enviados às residências após a conclusão do julgamento no Brasil.
A FAI é um órgão internacional que governa e regulariza os esportes aéreos no mundo. É ela quem homologa todos os campeonatos mundiais e recordes de desportos aéreos e astronáutica. O objetivo principal é o desenvolvimento dos desportos aéreos em todo o mundo. As suas áreas de competência abrangem múltiplas atividades: balonismo, voo a vela, paraquedismo, acrobacia aérea, asa delta e parapente, ultraleves e paramotores, aeromodelismo, aeronaves leves, voo de helicóptero e registros de recordes espaciais. No Brasil ela é representada pela Comissão do Aerodesporto Brasileira (CAB).

Aerodesporto definindo profissões

Samuel de Oliveira Nascimento Filho, o Samukinha, tem 18 anos, filho de Samuel Nascimento, (Campeão Brasileiro de Parapente (2010), com 3 recordes mundiais, sendo o atual recordista mundial de Parapente em um voo de 564 km em 11:45h no sertão Brasileiro, herdou do pai a paixão pelo aerodesporto. Por meio do esporte veio outra certeza, a de trabalhar na aviação.
Com força e determinação Samuka concluiu o curso de Técnico em Eletrônica na Escola Técnica de Eletrônica “Franco Moreira da Costa” (ETE – FMC), na cidade de Santa Rita do Sapucaí. “Antes de me formar, em dezembro de 2017, fui com meu pai no 1º Jantar dos Campeões do Aerodesporto Brasileiro realizado pela Comissão de Aerodesporto Brasileira (CAB), no dia conheci o drº Ozires Silva, e tive uma certeza: quero trabalhar na Embraer”.
Para conseguir entrar em um das maiores companhias de jatos comerciais do mundo, mais estudo e dedicação para ser aprovado no processo seletivo. Hoje Samukinha, como é carinhosamente chamado pelos colegas, é um dos mais novos estagiários da Embraer na unidade de Gavião Peixoto, interior de São Paulo.
No início da semana, em visita a CAB, Samuel acompanhou a presidente Marina Kalousdian, em uma visita ao fundador da Embraer, Ozires Silva. “Convidei o Samuel Filho porque achei que é uma forma de incentivar, apesar de ter conhecido o Drº Ozires no nosso evento, quando o pai dele foi homenageado pela CAB, essa foi uma oportunidade única de escutar da maior autoridade da aviação do país, o que essa área pode oferecer e o que a Embraer representa para o Brasil. Percebemos que mais uma vez o aerodesporto desperta na juventude o amor pela aviação, fazendo com que os filhos dos nossos atletas definam suas profissões com certeza, com paixão”, avalia a presidente da CAB.
“Quando comecei a voar de Parapente, em 2003, o Samukinha tinha 4 anos. Naquela época eu ia para o morrote na Brasília do avô João Amâncio e levava ele junto. Acredito isso marcou muito, despertando a admiração pelo voo. Agora com 18 anos e voando desde os 13, possui uma experiência comparada a pilotos de parapente mais velhos com muitos anos de voo, este conhecimento contribuiu para dar um grande passo em sua carreira profissional, podendo assim realizar o sonho em contribuir com uma das maiores empresas do mundo, a Embraer, no desenvolvimento dos melhores jatos comerciais atuantes no mercado. Como pai, apoio totalmente essa opção e desejo muita sorte nesta empreitada como um futuro Engenheiro Aeronáutico, piloto de testes ou o que a vida lhe reservar de melhor”, garante o pai Samuel Nascimento que no início do mês representou Brasil na Superfinal da Copa do Mundo de Parapente (Paragliding Worldcup), realizada na cidade Roldanillo, na Colômbia.

67631512-467f-42c7-8e8e-f26a116b48db

26685514_1101857449954299_2487513287907863034_o

Encontro da CAB com Ozires Silva.

Presidente da CAB pede apoio de Ozires Silva para mudança no valor da certificação de aeronaves tipo balão ar quente, dirigíveis e aviões de pequeno porte.

26685514_1101857449954299_2487513287907863034_o

A presidente da Comissão de Aerodesporto Brasileira (CAB), Marina Kalousdian, se reuniu na última segunda-feira (8), com o ex-ministro e fundador da Embraer, engenheiro Ozires Silva. Na pauta da reunião a campanha que os balonistas estão lançando contra o valor abusivo da Taxa de Fiscalização da Aviação Civil – TFAC 5272 que trata da certificação de aeronaves tipo balão, dirigíveis e aviões de PMD até 5.700kg e helicópteros de PMD até 2.730kg. O Governo Federal cobra hoje R$ 891.310,61 para dar entrada ao processo de certificação.
“Esta TFAC restringe totalmente qualquer tentativa de certificação, de fomento das atividades aeronáuticas aerodesportivas, de lazer, de instrução e de turismo. Inúmeras tentativas já foram iniciadas, mas nenhuma segue adiante por desconhecimento ou falta total de interesse dos órgãos envolvidos. Já temos um Projeto de Lei no Senado (PLS 062/2014), parado desde setembro de 2017. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) já enviou inúmeras propostas de Medida Provisória para o Ministério dos Transportes para encaminhar ao Ministério da Fazenda, mas até o momento nada foi analisado”, explicou Marina Kalousdian, lembrando que esse descaso leva à prática irregular dos voos remunerados, devido ao grande potencial turístico que o país oferece.
A TFAC faz parte da Lei de Criação da ANAC, e somente com autorização do Ministério da Fazenda e de suas Secretarias será permitida a retirada das palavras balões, dirigíveis e aeronaves menores.
A maior justificativa é de que a taxa atualmente exigida para a certificação de balões jamais foi recolhida e, portanto, ao reduzi-la para valores cabíveis, que no caso não seria mais do que R$ 30 mil, com efeito imediato trará de volta a iniciativa dos fabricantes hoje experimentais, a seguirem os requisitos do Regulamento Brasileiro de Aviação Civil, que no caso de balões e dirigíveis é o RBAC 31.
“Da maneira como está, os empresários que fazem voos comerciais não conseguem se regularizar devido ao valor excessivo cobrado e com isso o Governo Federal também deixa de recolher impostos”, avalia Marina Kalousdian.
Ozires Silva disse que vai apoiar a campanha para diminuir o valor da TFAC 5272. O patrono do aerodesporto brasileiro garantiu à presidente da CAB que vai trabalhar junto aos órgãos competentes para que os valores para a certificação de balões, dirigíveis e aeronaves de pequeno porte sejam justas, possibilitando que todos trabalhem de acordo com o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil.

Glória Saratt
Assessoria de Imprensa
CAB – Comissão de Aerodeporto Brasileira
(16) 99208-2933

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial