Equipe mineira de paraquedismo busca dois recordes em julho

Tentativas de 50 saltos noturnos vão ser em Juiz de Fora e podem ser uma grande conquista para o Brasil.

 

A equipe do Pára-Clube Águias de Ouro vai tentar, no próximo dia 13 de julho, estabelecer recorde de ‘Maior número de saltos em período noturno’, no Aeroporto Francisco de Assis, em Juiz de Fora-MG. A ideia é atingir a marca de 50 saltos entre o pôr do sol dia 13 e o nascer do dia 14. O pedido das tentativas do Clube de Paraquedismo mineiro, um dos mais antigos do Brasil, fundado há 51 anos, já foi encaminhado para a Federação Mineira de Paraquedismo e Confederação Brasileira de Paraquedismo.

 

Equipe – Participarão dessas buscas os atletas Luiz Claudio Ribeiro Santiago (Dim), que também é vice-presidente da CAB e Bruno Malvaccini D’Almeida e Mendes, que usarão as aeronaves Cessna 182 Prefixo PT-DOP e Cessna 172 Prefixo PT-CSW, pilotadas por Miguel Gustavo Saber Miana, João Daniel Maximiano Pereira, Jefferson Luiz Pompeu Madeira e Leandro Silveira Lopardi. A realização é do SkydiveJF, Pára-Clube Águias de Ouro e Aeroclube de Juiz de Fora.

 

O documento oficial, chamado de ‘Requerimento para Tentativa de Recorde’, com a data do último dia 13 de junho, assinado pela presidência do Pára-Clube Águias de Ouro, informa que todos os requisitos foram providenciados e que estão à disposição para conhecimento dos cuidados tomados para que haja regularidade no processo e segurança de todos os envolvidos. Também deixa claro que a data pode sofrer alguma alteração por causa de condições climáticas.

 

“A data foi escolhida considerando que julho é o mês de menor umidade em Juiz de Fora. No final de semana do evento, teremos uma luminosidade lunar bastante elevada. Fora a questão climática, temos também toda a logística com profissionais vindos de fora, como seis dobradores de paraquedas e um esquema de segurança com uma ambulância, um médico, uma fisioterapeuta e uma educadora física”, destacou o paraquedista Bruno Malvaccini ao jornal Tribuna de Minas.

 

Luiz Claudio, o Dim, esclarece que a equipe envolvida nessa ‘expedição’ já fez alguns treinamentos. Também disse que já foi emitido o NOTAM, documento que contém todas as informações necessárias para que as operações áreas ocorram com segurança e eficiência, e é disponibilizado pelo Comando da Aeronáutica. “São verificadas desde as informações sobre a reserva do espaço aéreo, como toda a parte documental tanto dos pilotos como das aeronaves que participarão da competição. No Brasil somente podemos voar em áreas previamente autorizadas, e isso já aconteceu”.

 

CAB na torcida – A presidente da CAB, Marina Kalousdian, deseja sucesso a todos e espera que os esforços feitos até aqui possam garantir as duas conquistas. “O fato de partir para esse desafio, em si já é uma vitória do grupo Águias de Ouro de modo específico, e do paraquedismo brasileiro de maneira geral. Temos um orgulho enorme pela fibra, dedicação, empenho e competência dessa equipe. Por isso, assim como eles, todos nós também estamos da torcida. Boa sorte a eles, a Minas Gerais, ao Brasil e, principalmente, ao Paraquedismo Brasileiro !”.

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial